Depósitos na caderneta de poupança superam saques pelo sexto mês consecutivo e bate recorde

    shutterstock

    Depósitos na caderneta de poupança superam saques pelo sexto mês consecutivo e bate recorde

    Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 5,862 bilhões em agosto, de acordo com relatório divulgado hoje (6) pelo Banco Central (BC). Esse é o maior resultado para agosto, na série histórica do BC, iniciada em 1995.

    No acumulado dos oito meses deste ano, os depósitos na poupança superaram os saques  em R$ 16,960 bilhões.

    O saldo atualmente depositado na caderneta está em R$ 764,408 bilhões. Os rendimentos chegaram a R$ 2,862 bilhões, em agosto.

     

    Pela legislação em vigor, o rendimento da poupança é calculado pela soma da Taxa Referencial (TR), definida pelo BC, mais 0,5% ao mês, sempre que a taxa básica de juros, a Selic, está acima de 8,5% ao ano.

    Quando a Selic é igual ou inferior a 8,5% ao ano, como ocorre atualmente, a remuneração da poupança passa a ser a soma da TR com 70% da Selic. Atualmente a Selic está em 6,5% ao ano, o que daria um rendimento estimado de 4,55%, enquanto a inflação estimado para o ano é de 4,16% pelo mercado e a meta central do governo federal e perseguida pelo Banco Central é de 4,5%, ou seja, apesar de ser a modalidae mais popular, a poupança prevê um rendimento muito pequeno.

    Uma alternativa à poupança são os títulos do Tesouro Nacional. Esse tipo de investimento foi alterado recentemente pelo governo que anunciou uma projeção da relação da dívida bruta do governo e o PIB (Produto Interno Bruto) subiu, passando de 75,6% para 77%. De acordo com Luis Fernando Alves, coordenador geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública, essa revisão se deve principalmente à redução da estimativa de crescimento da economia em 2018.

    *Com informações da Agência Brasil