Queda das vendas no acumulado de 2016 fica abaixo da média nacional em Ribeirão Preto (SP)

Estimativas do Banco Central para a inflação caem para 3,8%
2 de março de 2017
Atividade do Comércio cresce 1,8% em fevereiro
6 de março de 2017

Setor de Calçados foi o único a apresentar variação positiva nos 12 meses do ano passado; destaque negativo para o setor de Eletrodomésticos

As vendas no varejo de Ribeirão Preto (SP) tiveram queda de -2,73%, no acumulado de 2016 segundo a pesquisa Movimento do Comércio, realizada pelo SINCOVARP – Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região. O índice ficou melhor que o de 2015, quando o recuo nas vendas foi de -3,78%, e melhor que a média nacional do ano passado que registrou variação negativa de -6,2% (IBGE).

“Não chega a ser um grande resultado, mas demonstra uma alteração na tendência da economia, que vinha em queda livre em 2015 e passou a se sustentar no ano passado, apontando na direção de um 2017 levemente positivo”, analisa Marcelo Bosi Rodrigues, economista do SINCOVARP e responsável pela pesquisa.

O único setor que apresentou média positiva no acumulado de 2016 foi o de Calçados, com crescimento +0,30% nas vendas. Já o setor de Eletrodomésticos teve queda de –5,70% e foi o que demorou mais para sentir a crise sustentando resultados positivos por mais tempo. Agora, sua base de comparação mais alta, fez com que os resultados atuais se apresentassem mais intensos, além disso, é um setor que trabalha com bens de valores mais elevados e, em tempos de recessão, o consumidor volta suas compras para produtos com valor unitário mais baixo, o que contribuiu para o resultado positivo do setor de Calçados, por exemplo.

Emprego

Com relação ao nível de emprego no comércio, a variação acumulada no ano passado foi de –4,84%, resultado levemente superior ao de 2015 que registrou –5,51%. “Esse é outro sinal de melhora do cenário econômico. O que chama a atenção é que os meses com maior redução dos quadros funcionais foram os de junho e julho, fato que normalmente ocorre no início do ano, com a demissão dos temporários contratados para o período do Natal”, explica Rodrigues.

Entre os oito setores pesquisados, três aumentaram o número de funcionários em 2016, um ficou estável e os outros quatro reduziram o quadro de colaboradores ao longo dos 12 meses do ano. O setor que mais contratou foi o de Calçados (+13,63%). O maior percentual de demissões foi no setor de Livraria/Papelaria (–20,24%). “São índices que demonstram uma estabilização, sinalizando na direção de que as demissões ficaram para trás e que a variação deverá ficar nula ou positiva em 2017”, diz o economista.

Análise

Os números de 2016 demonstram que o Comércio Varejista de Ribeirão Preto vem sofrendo com a recessão econômica desde o final de 2014, mas, em 2016, houve uma clara reversão dessa tendência. “Quando pensamos em recuperação da economia, temos em mente números mais robustos de crescimento, porém, dentro do cenário nacional, a recuperação que tem se desenhado é bem mais suave. Ainda convivemos com alto índice de desemprego e renda da população em queda, mas, aos poucos, outros indicadores econômicos, como taxa de juros, inflação e câmbio ajudam a sustentar uma lenta retomada do crescimento econômico”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *