Setor de serviços paulistano inicia 2017 com faturamento de R$ 27,4 bilhões, alta de 2,3% em janeiro

Vendas do comércio eletrônico no Dia do Consumidor devem crescer em 2017
14 de março de 2017
Movimento do comércio cai em fevereiro, apura Boa Vista SCPC
16 de março de 2017

Segundo pesquisa da FecomercioSP, resultado registrado no mês põe fim a uma série de 17 quedas mensais consecutivas

Após 17 quedas mensais consecutivas, o setor de serviços do município de São Paulo iniciou 2017 com alta de 2,3% no faturamento real na comparação com janeiro do ano passado, alcançando R$ 27,4 bilhões no mês, cerca de R$ 629,3 milhões superior ao apurado no mesmo período do ano anterior.

Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS), que traz o primeiro indicador mensal de serviços em âmbito municipal, elaborado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados de arrecadação do Imposto sobre Serviços (ISS) do município de São Paulo, fornecidos pela Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico. O município de São Paulo tem grande relevância nos resultados estaduais e nacionais do setor de serviços, representando aproximadamente 20% da receita total gerada no País.

Das 13 atividades avaliadas, cinco registraram crescimento no faturamento real em janeiro, no comparativo com o mesmo mês de 2016, sendo as mais expressivas observadas nos serviços de agenciamento, corretagem e intermediação (32,1%), saúde (21,5%) e Simples Nacional (5,8%), que em conjunto, contribuíram com 4,8 pontos porcentuais (p.p.) para o bom desempenho geral do setor de serviços paulistano.

Por outro lado, os resultados negativos mais impactantes do mês foram vistos nas atividades de construção civil (-20,5%), técnico científico (-18,1%) e turismo, hospedagem, eventos e assemelhados (-16,1%), que juntas, impactaram em – 1,9 p.p. para o resultado geral.

De acordo com a FecomercioSP, a elevação das receitas registrada em janeiro ainda não é suficiente para sinalizar a recuperação do setor de serviços na cidade de São Paulo. No acumulado em 12 meses, o setor registra queda de 2,7% nas receitas. Esse porcentual é menor do que o apurado no mês anterior (-3,4%), e vem se desacelerando desde setembro de 2016.

A conjuntura começa a dar sinais de melhoria, refletidos nas quedas da inflação e dos juros e nos indícios de recuperação na produção industrial. Uma recuperação cíclica consistente, pondera a Federação, somente será viabilizada quando os indicadores de emprego e renda começarem a mostrar, de fato, uma melhora sólida o que, dada a profundidade da crise presente, não deverá ocorrer no curto prazo.

Nota metodológica
A Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS) é o primeiro indicador mensal de serviços em âmbito municipal e utiliza informações baseadas nos dados de arrecadação do Imposto sobre Serviços (ISS) do município de São Paulo, por meio de um convênio de cooperação técnica firmado entre a Prefeitura de São Paulo e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O indicador conta com uma série histórica desde 2010, permitindo o acompanhamento do setor em uma trajetória de longo prazo.

As atividades foram reunidas em 13 grupos, levando em conta as suas similaridades e a representação no total do que é arrecadado do ISS no município. Por meio dos relatórios gerados, é possível identificar o total do faturamento (real e nominal) por atividade, as variações porcentuais em relação ao mesmo mês do ano anterior (T-T/12) e mês imediatamente anterior (T-T/1) e o acumulado no ano.

Fonte: Fecomercio-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *